Nacional

E se as empreiteiras da Lava Jato fossem condenadas a reformar presídios?

presidio2Para a torcida brasileira, a única saída digna da Lava Jato é pôr todo mundo em cana; se possível ontem, ainda na fase de inquérito. Afinal, essa coisa toda de presunção de inocência e trânsito em julgado só atrapalha o que pensam ser o final feliz para um novo Brasil. Mas e se em vez disso – ou além disso – os empreiteiros da Lava Jato, que tantas pontes, estradas, prédios e hospitais sabem fazer, superfaturados ou não, fossem condenados agora a ressarcir os cofres públicos reformando ou construindo novos presídios; alguns deles, veja você, frequentados por eles mesmos? E se houvesse algo mais didático nas condenações do caso do que a privação de liberdade das Pessoas Físicas? Continuar lendo

Anúncios
Padrão
Quase Humor

Sacando corruptos num voo para Brasília

Corrupto1Entre Lava Jato e Zelotes, há uns R$ 20 bilhões em grana corrupta voando pelo Brasil. Parte dela foi carregada em espécie por senhores de terno como os que estavam ao meu lado no JJ 3700 no mês de março.

Quando você vai a Brasília, a desconfiança recai sobre um tipo de malandro diferente do preto-pobre que tanto fascina a polícia.

Ainda no táxi, a caminho de Congonhas, li na Folha que mulas foram vistas voando pelos céus do Brasil carregando consigo maços de dinheiro embalados em plástico zap. Mulas são pessoas pagas por traficantes para levar drogas de um país a outro, dentro do próprio estômago, separada em pequenas cápsulas. No caso das mulas empresárias, o dinheiro da corrupção aparecia amarrado a pernas peludas e a dorsos masculinos providos de tetas, fazendo a ponte aérea da corrupção. Continuar lendo

Padrão
Diplomacia

“Cuba se abre, mas não vira capitalista”

BettoFidel Castro, aos 88 anos, viu passar oito presidentes dos EUA, sendo que quatro deles ele enterrou; e mais de 20 diretores da CIA, sendo que todos eles tiveram o projeto de assassiná-lo”, me disse Frei Betto em entrevista que fiz com ele em dezembro, sobre o reatamento entre Washington e Havana, que reabriram hoje suas embaixadas num gesto mútuo de reconciliação depois de mais de 50 anos de gelo. Continuar lendo

Padrão
Nacional

Ninguém governa sem o PMDB

CunhaPensavam estar sobre uma ilhota no meio do oceano. Mas, ao pouco andar, o montico de terra tremia e urrava, se revelando o dorso de um gigantesco animal marinho submerso. Assim é o PMDB: na maior parte do tempo, deixa à mostra na superfície a quinta parte de seu porte, como uma ilha tediosa em paisagem inerte. Mas basta o governo cravar nele a haste de um guarda-sol para que a criatura contraia a musculatura, arqueando o corpanzil pré-diluviano. Conversei sobre essa besta pedregosa com Pedro Simon, nas eleições presidenciais de 2014. O então senador era um dos poucos endócrinos a ter penetrado nas entranhas do bicho. De lanterna na testa, viu o que todo mundo suspeita: ninguém governa sem o PMDB no Brasil. Continuar lendo

Padrão